80 anos de ‘Guernica’, obra-prima de Pablo Picasso


Não, não é uma pintura de bom gosto para decorar apartamentos. Ela é uma arma de ataque e defesa contra um inimigo terrível chamado fascismo.”– Pablo Picasso



O “Guernica” tem um importante “significado não apenas do ponto de vista artístico, no qual o seu valor universal é indiscutível, mas também por seu valor simbólico contra a guerra e toda a violência” – explica Rosario Peiró, Chefe de Coleções do Reina Sofía.

Guernica é a obra mais emblemática da carreira de Pablo Picasso, que nasceu em Espanha, em 1881, e morreu em França, em 1973, e talvez também da arte do século XX.

A pintura a óleo sobre tela, de 349,3cm de altura e 776,6cm de largura, mostra os horrores do bombardeamento à cidade basca de Guernica, por aviões alemães do regime nazista, apoiando o ditador Francisco Franco, em 26 de abril de 1937, durante a Guerra Civil espanhola, naquele que foi visto como um teste dos bombardeamentos aéreos da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Alguns anos antes de morrer, Picasso pediu para que o quadro só fosse devolvido a Espanha quando as liberdades públicas fossem restauradas nesse país.

Guernica chegou a Espanha em 1981, depois da morte do ditador Francisco Franco (1939-1975) e da restauração da democracia, em 1977.

Guernica em 3D


Exposição

Museu Reina Sofia organiza, a partir de abril, em Madrid, uma grande exposição sobre a obra do pintor Pablo Picasso, para celebrar os 80 anos da sua obra-prima “Guernica”, símbolo universal da crueldade da guerra.
A exposição Piedade e terror em Picasso: o caminho até Guernica, de 4 de abril até 4 de setembro 2017, vai celebrar o 80.º aniversário da criação do quadro, por Pablo Tuiz Picasso, e os 25 anos da sua chegada ao museu Reina Sofia (Rainha Sofia).
Fonte: DN – Diario Notícias | Museu Reina Sofia

Comentários