15 de nov de 2014

Dança das cadeiras na República do Brasil


Em 124 anos de república, a faixa presidencial já enfeitou o peito de 32 pessoas. Isso sem contar os três governos provisórios e as duas juntas militares que governaram o país. Foram generais, fazendeiros, intelectuais e um líder sindical, numa sucessão de líderes de diferentes estilos, origens e modos de pensar, que reflete a movimentada (e por vezes acidentada) história da jovem democracia brasileira.

1889 a 1891 - Marechal Deodoro

O primeiro presidente brasileiro foi um militar e não concluiu seu mandato. Líder do movimento de proclamação da república, ele assumiu em 1889 e renunciou dois anos depois

1902 a 1906 - Rodrigues Alves

Herdeiro de grandes propriedades de terra e ex-dono de escravos, ele prossegue a política de valorizar o cultivo do café. Mas também é um modernizador: reurbaniza o Rio de Janeiro, então capital federal. Em 1918, é eleito novamente para o cargo, mas morre antes de tomar posse

1930 a 1945 - Getúlio vargas

Derrotado na eleição de 1930, lidera a revolução militar que pôs fim à República Velha. Torna-se ditador em 1937 e é afastado do poder por um golpe em 1945. Volta em 1954, mas não conclui o mandato. Mata-se com um tiro no peito

1956 a 1961 - Juscelino Kubitschek

O presidente "bossa nova" até hoje é um dos mais populares da história. Construiu Brasília e promoveu a industrialização do país com o famoso slogan "50 anos em 5"

1961 a 1964 - João Goulart

Impedido de assumir o cargo após a renúncia de Jânio Quadros (numa espécie de "golpe branco" que alçou Tancredo Neves ao cargo de primeiro-ministro), só adquire plenos poderes após um pebliscito em 1963. É derrubado por um golpe militar, em março de 1964

1964 a 1967 - Castello Branco

Dissolve os partidos políticos, estabelece eleições indiretas, cassa mandatos de deputados e senadores. Suspende os direitos políticos de centenas de cidadãos e institui o bipartidarismo entre a Arena e o MDB, criando terreno para a repressão para os próximos presidentes da ditadura

1979 a 1985 - João Figueiredo

Depois de 15 anos de torturas, censura e eleições indiretas, Figueiredo sanciona a lei da Anistia e restaura o pluripartidarismo. Seu governo é marcado pelo crescimento da inflação e da dívida externa

1990 a 1992 - Fernando Collor de Mello

Eleito nas primeiras votações diretas desde a ditadura, Collor é também o único presidente a sofrer processo de impeachment. Renuncia acusado de corrupção. Na economia, promoveu um drástico bloqueio dos saldos das contas bancárias e abriu o país para importações

1995 a 2003 - Fernando Henrique Cardoso

Como ministro do presidente Itamar Franco, o sociólogo FHC ganha popularidade ao conseguir conter a inflação, que assustava o país desde o fim da ditadura. Consegue mudar a lei do pleito brasileiro e reelege-se. Sua aceitação, porém, despenca no segundo mandato, marcado pela fraqueza da economia

2003 - 2010 Luiz Inácio Lula da Silva

Depois de perder a primeira eleição da democracia para Collor e outras duas para Fernando Henrique, Lula chega ao poder com uma votação recorde de 50 milhões de votos. Seu governo recebe a maior aprovação entre os eleitores e Lula é reeleito em 2006, ficando no poder aré 2010.

2011 - ... Dilma Rousseff

Lançada pelo ex-presidente Lula, Dilma Rousseff é eleita em segundo turno, em um embate contra José Serra. A eleição de Dilma é histórica. Ela é a primeira mulher a assumir a presidência no Brasil.

Fonte: Guia do Estudante
Por Leandro Narloch | 14/11/2013
  • Comentar com o Gmail
  • Comentar com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Poste seu comentário. Compartilhe suas idéias e opiniões, para que assim, surjam novos questionamentos.

Item Reviewed: Dança das cadeiras na República do Brasil Rating: 5 Reviewed By: Informação Gerando Conhecimento