Livro: o tupi que falamos sem perceber

Acaba de sair mais um livro de autoria do Ohi e minha. É Paca, Tatu, Cutia! Glossário de Ilustrado de TUPI, uma espécie de pequeno “dicionário” (sem a estrutura formal dos dicionários) com oitocentos e tantos verbetes, editado pela Melhoramentos. São palavras que falamos no cotidiano e quase ninguém se lembra que elas não são originárias da língua portuguesa, mas do tupi.

Alguns exemplos: capim, pereba, pipoca, peteca, tapera, mingau, pamonha, mirim, sarará… Nesse livro, procuramos explicar o que significa cada palavra. Em muitos verbetes, contamos uma história relacionada a eles. Você sabe por que quando estamos sem dinheiro dizemos que estamos “na pindaíba”? E jabá, como significado de carne seca, você sabe por quê?

Você sabe o que significam os nomes das cidades de Itaquaquicetuba, Jericoacoara, Pindamonhangaba, Botucatu, Jequié, Corumbá e Ibotirama, por exemplo? E a Serra da Mantiqueira? E a Chapada do Araripe? E os rios Solimões, Araguaia e Tocantins?

Há muitos nomes de cidades, rios, plantas, animais… Os indígenas, ao dar o nome, “descreviam” alguma característica dos animais. Jacaré, por exemplo, é “o que olha de lado”. Cutia é “o que come em pé” (ela pega a comida com as patas dianteira e se levanta sobre as traseiras para comer). É um livro feito para crianças e adultos. Garanto que só se for uma pessoa sem curiosidade nenhuma para não se interessar pelo seu conteúdo (eita, falta de modéstia!).

Abaixo, dou o significado de algumas palavras e expressões que nos apropriamos do tupi. Não estão na forma que aparecem nos verbetes, são comentários, mas em alguns deles há historinhas sobre a origem e o uso dessas palavras.

Em seguida, no final, dou o “serviço” para quem quiser nos prestigiar nos lançamentos. O texto é meu e as ilustrações (belíssimas, o livro ficou muito bonito) são do Ohi. Os autógrafos incluem um desenho dele, feio na hora.

Que pindaíba!

Pindá é anzol e iba é ruim. Quem mora num lugar em que o alimento principal é o peixe, se tem um “pindaíba”, quer dizer, anzol ruim, está mal, não tem o que comer. Por isso, quando alguém diz que está na pindaíba é porque está muito mal de situação, na maior miséria.

A doçura e o que faz sofrer

O nome Moema pode ter vários significados. Um deles é exausta, desfalecida. Mas outro combina mais com as moças chamadas Moema: doçura. Moacir, por sua vez, significa “o que faz sofrer”. Juraci é boca delicada. Iracema, acredita-se que tenha sido um nome inventado pelo escritor José de Alencar, com o sentido de “lábios de mel”, mas essa palavra significa mesmo é “saída do mel”. Uma curiosidade: Iracema é anagrama de América.

Velha resmungona

Coroca significa velha caduca. Elas costumam resmungar muito… ficam num nhenhenhém, não é? Nheeng significa farar. Nhenhenhém é falar, falar, falar… Ou seja, teimar, ficar falando sem parar, resmungando.

Garças por todo lado

A palavra guará tem mais de um significado. Como nome do lobo-guará, vem de aguará, que significa comedor voraz. Guará, guirá, uirá significam ave, e guará é mais utilizada para nomear as garças. Assim, tem cidade com nome de garça por todo o Brasil. Algumas delas: Guarabira (Paraíba) é garça vermelha; Guaraí (Tocantins) é rio das garças; Guarapari (Espírito Santo) é cercado de garças; Guarapuava (Paraná) é barulho de garças; Guaraqueçaba (Paraná) é ninho de garça; Guaratinguetá (São Paulo) é muitas garças brancas.

Comedor de jabá

Jabá todo mundo sabe o que é, não? Carne-seca, carne-de-sol… Mas em tupi a palavra jabá significava fugir, fuga ou fugitivo.

Durante a dominação portuguesa, os colonizadores preavam e escravizavam os indígenas, que fugiam e eram perseguidos, e não podendo parar para caçar, porque seriam pegos, eles levavam carne-seca. Por isso a carne que os fugitivos levavam passou a ser chamada de jabá.

Lugar que os fugitivos se escondiam chamava-se jabaquara, que significa refúgio dos fujões, refúgio dos fugitivos, ou seja, é o mesmo que quilombo, palavra de origem africana. Em Santos e São Paulo, existem bairros chamados Jabaquara. O “quilombo do Jabaquara”, em Santos, foi muito famoso já no período da escravidão negra, abrigando escravos fugitivos até o fim do regime escravista, em 1888.

Que inhaca!

Quando alguém cheira mal, com cheiro de bode, dizemos que ele está com inhaca, palavra que em tupi significa fedor. Mas a palavra é usada também com o significado de azar: “estou com uma inhaca danada”.

Colina verde X Pedreira velha

O assunto agora é futebol, quer dizer, estádios de futebol. Muita gente achava que o Morumbi ia sediar os jogos, mas preferiram construir outro estádio em Itaquera. Morumbi significa colina verde. Alguns traduzem por colina azul, porque os povos de língua tupi achavam que o azul era uma tonalidade da cor verde (os japoneses também), por isso obi tanto pode ser azul quanto verde. Itaquera é pedreira velha. Já o Maracanã, no Rio, deve-se a um tipo de papagaio muito barulhento, a palavra significa semelhante ao maracá. Voltando a São Paulo, Pacaembu é riacho das pacas.

Lançamentos:

Em São Paulo: Livraria da Vila
Rua Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena
Dia 25 de outubro (sábado), das 16h às 19h

Em São Luiz do Paraitinga será durante a Festa do Saci, junto com um seminário sobre cultura caipira.

Local: Centro Turístico e Cultural Nelsinho Rodrigues
Rua Cel. Domingues de Castro, 33 – centro

Dia 1o de novembro (sábado) – o seminário começa às 10h da manhã. O lançamento ao meio-dia.

Fonte: Revista Fórum
Por Mouzar Benedito

Comentários